+ Prosa

Hiroshima – esboço n.1

Hiroshima

o vento feito andorinha-de-bando fará germinar nas terras o loendro: loureiro-rosa: adelfa: cevadilha: a rosa-menina: sempre-sempre: agora-agora: dança: minha bailarina: dança: a dança é um pássaro que voa sobre o céu de hiroshima: a dança é um amálgama de cinza: uma arma de fissão de tipo balístico com 60 kg de urâncio-235: a dança é uma ferrugem líquida que nasce dentro dos olhos das mulheres que choram às margens do rio ota: dança o mai e o odori: a dança é um movimento contido com passos sempre presos ao chão: dança: quando raiar: dança: para o repouso das almas: dança: para evocar  nossos mortos: dança: como a deusa Amenozume-no-mikoto devotou-se à dança: minha bailarina: dança: orna o vestido com capim: prende um punhado de folhas de bambu nas mãos: bate os pés num grande balde: dança: com um tecido comprido de algodão: leques dobráveis: dança o nihon buyo: o kabuki:  dança: que a estrela da manhã vai nascer duma coreografia no ventre duma mulher que não consegue dormir mesmo vis-à-vis do breu desmedido que paira inerte dentro da boca de nossa cidade: o cão afrontado guiará os homens de nossa cidade com voz lamentosa entre montanhas que se estendem até a província de shimane e rios que rodeiam entre planícies no litoral: as cinzas dormirão para sempre impregnadas nas carcaças em frangalhos de nossa gente: mas a baía abre para o mar interior: entre rochedos o mar se espalha ávido afora de toda a dor: afora de todos os canhões: afora de toda granada: afora da cinza que é cama: da cinza que é mesa: da cinza que é calçada: da cinza que é alameda: da cinza que é fábrica: da cinza que é escola: da cinza que é pronto socorro: da cinza que é morada: afora da cinza que é corpo: dança: minha bailarina: que a dança é uma andorinha-de-bando: que a dança é o corpo entregue ao vento: só o vento em tempestade o vento: só vento levará para as terras o vento: afora da tempestade 0 vento levará para as terras: o vento feito andorinha-de-bando fará germinar nas terras o loendro: loureiro-rosa: adelfa: cevadilha: a rosa-menina: sempre-sempre: agora-agora: um clarão que cegará a vista: um clarão levará as muralhas: um clarão: 8:15: um clarão levará para sempre o breu: 8:15: um clarão em hiroshima levará o breu: 8:15 da manhã: dança minha bailarina: dança: dança: dança: minha bailarina:

rudinei borges 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s