Poesia Rudinei Borges

Pastores de vento

tenho ficado sozinho
com meus pastores de vento
deixado rastros de pássaros
voado à noite às vezes
perdido tempo com espinhos roseiras
pedido aos meus fantasmas que me deixem em paz
tenho amado uma estátua de vidro com olhos vendados
chorado à tarde pela manhã
tenho vivido quase sempre como um despatriado
caminhando pelas beiradas duma alameda sem nome
quase sempre diante de satã
quase sempre longe de deus

(Rudinei Borges)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s