Poesia Rudinei Borges/Rudinei Borges

anzol

vem
meu pequeno pássaro
com olhos de anzol
vem
que a cidade reina
no braço circunspecto
da noite fria
no mar da porta
sem dentes
vem
às voltas do dia
que
o interior da casa
é
a engrenagem dos pântanos
que
o silêncio dos tártaros
é
o assoalho mágico
onde
dorme
o
solilóquio
da carne
vem

[anzol: rudinei borges]

[foto: leo drumond]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s