A Garapa/Cinema/Cinema Brasileiro/José Padilha

José Padilha estreia o documentário A Garapa

Famílias do interior do Ceará

Famílias do interior do Ceará

O documentário brasileiro mostra como a fome atinge três famílias do Ceará. Sem ter nenhuma condição de comprar alimentos para os filhos, as mães os alimentam com uma mistura de água e açúcar, chamada de garapa.

Não há data prevista para estreia no Brasil.

3 pensamentos sobre “José Padilha estreia o documentário A Garapa

  1. Me bata uma “GARAPA”!. A fome brasileira atualizada no cinema.
    Me bata uma garapa ou me faça uma garapa é uma expressão utilizada para desqualificar a alguém que nos chega com uma provocação barata; como de sarcasmo. Ramon Andrade pela internet diz tratar-se de um dito baiano que “… exprime um sentimento de um momento raivoso do tipo não me enrole, ou…”. No lugar comum desta expressão tentaremos alcançar uma critica sobre a veiculação cinematográfica do documental produzido pelo cineasta José Padilha – GARAPA. Assisti-lo nos tomou de assaltou o sentimento de raiva, misturado com constrangimento; isto pelo feito de entendermos como invasivo o olhar fotográfico aos corpos daqueles que pelas imagens projetadas nos chegou como remanescentes de aldeias indígenas; roubados legalmente no uso de terras brasileiras. Roubados e largados à própria sorte como se somente eles e mais ninguém pudessem ter participação nos roubos históricos estatais às populações indígenas e quilombolas. E, nisto da câmara invasiva, questionaríamos o porquê dela descansar a lente na nudez de uma criança do sexo masculino que (a despeito do que Padilha enfatiza na pretensão documental – a fome) parecia estar em plena forma de vitalidade física – subindo e descendo os muros do casebre. Outro sentimento foi à satisfação de pensar que a GARAPA, largamente batida pelos protagonistas do documentário pudesse significar uma desdita a soberba do diretor quando reduz toda a existência dos figurantes ao seu estomago. O Diretor afirma seu discurso imagético GARAPA no arauto da descoberta da fome no Brasil – Josué de Castro. Indagaríamos: existe alguma leitura critica da produção acadêmica à fome castreana?

  2. Gostaria de saber como posso conseguir o documentário A GARAPA para poder passar para meus alunos. Sou professora de Sociologia/História de uma escola particular, esse documentário serviria para ele poderem observar a realidade de sua sociedade fora de um shopping center.
    Obrigada.
    Adriana – Fort/Ce

    • Olá Adriana,

      Creio que A Garapa deve ser exibido aos seus alunos. Mas o documentário estava no cinema, pelo menos em São Paulo. Penso que logo irá para as locadoras.

      Por enquanto, indico “Ilha das flores” de Jorge Furtado. É conhecido, dinâmico e fácilo de conseguir.

      Abraço,

      Rudinei Borges

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s